Posted on: março 13, 2020 Posted by: Samira Comments: 0

A impressão que eu tenho é que o mundo é daqueles que se adaptam rápido. A vida muda o tempo inteiro, não sei a de vocês, mas a minha tá sempre uma loucura.

E nessas andanças da vida, já me mudei algumas vezes e já morei em 4 países (incluindo o Brasil, para onde voltei recentemente). Volta essa, inclusive, que exige boa dose de paciência e adaptação.

Gostaria de compartilhar algumas dicas que eu uso em mudanças, e que acredito que sirvam também pra quem muda de cidade, pois é tudo novo também!

Dicas de adaptação para quem mudou de cidade
Dicas

1 – METAS DE CURTO PRAZO

Talvez mudar seja uma decisão própria ou talvez você estará seguindo alguém, sua família ou cônjuge, por exemplo. É possível que você já tenha um trabalho ou projeto definido, mas se não for o caso, ter algumas tarefas para começar ajuda muito!

As metas de curto prazo dão aquela sensação boa de que você está progredindo, “riscando” tarefas da lista e caminhando em uma direção. Pode ser resolver a sua papelada até o dia x, refazer a auto-escola no local (já tive que refazer a minha em outro país, num processo que demorou 3 meses), aprender o idioma local. Caso você esteja procurando emprego ou atividades, pode bloquear horas do seu dia com uma meta, por exemplo: “Vou dedicar 4 horas por dia para procurar um novo trabalho, vou enviar 5 currículos por dia, etc”.

2 – SE ALIMENTAR BEM E MANTER BOA ROTINA

Essa pra mim é primordial. Comer direito, acordar cedo, vestir uma roupa decente. Se você está trabalhando a rotina vai te ajudar, mas se você está sem perspectiva no início, ter esse cuidado pessoal ajuda muito. Pois quando a gente se alimenta bem, se sente mais saudável e disposto. Estar bem vestido aumenta sua auto-estima quando conhecer alguém, e mesmo quando estiver em casa. A pior coisa que você pode fazer é deixar a vida correr, ficar de pijama e comer pizza da caixa.

3 – APRENDER O IDIOMA LOCAL

É básico! Mas muita gente ainda ignora ou fica naquele papo que “lá todo mundo fala inglês” e dá pra se virar. O idioma local é parte intrínseca da cultura local: se você não dominá-lo nunca vai se integrar de verdade e será sempre um “outsider”. Conhecer o idioma te permite compreender um pouco mais os códigos sociais e o comportamento de um povo. O melhor é aprender um pouco antes de ir, mas quando você já está no local a imersão acelera o processo. Se puder pagar por aulas melhor, mas hoje em dia são muitas opções entre canais de YouTube, aplicativos de idiomas, language partners etc.  Você pode também ter um trabalho temporário que te ajude a praticar o idioma.

4 – PROCURAR EVENTOS E SAIR DE CASA (MEETUP, EVENTBRITTLE, FACEBOOK ETC)

Quando você não tem um trabalho fica mais difícil conhecer pessoas, e participar de aulas muitas vezes exige um investimento em dinheiro que nem todo mundo pode fazer. Então use e abuse das ferramentas gratuitas de eventos tipo MeetUp, grupos de Facebook, pesquise o que está acontecendo nas proximidades. Quando eu cheguei em Dubai conheci uma amiga através de um grupo de desenho que ela montou no site MeetUp (ela também era recém chegada, mas organizava a mesma atividade na sua cidade natal na Irlanda). Procurei também palestras e atividade profissionais tipo coffee break – num desses eventos fiz outra amizade que abriu as portas para meu trabalho em Dubai.

5 – TER UMA “ROTINA” DE LAZER PARA EXPLORAR A CIDADE

Uma tarde por semana ou a cada 15 dias: é o tempo que você precisa. Você pode fazer uma lista de lugares para conhecer, parques, museus, bairros, algum restaurante ou botequinhos onde pode provar comidas típicas. Ter uma rotina de “explorar” o lugar onde você mora ajuda muito na integração. Na medida que você conhece mais lugares, se sente mais à vontade, mais em casa.

Leave a Comment